Você está em: Principal → Mídia → Notícias

notícias

19 de junho de 2016

Trabalho de artista plástica leva arte e beleza ao Hospital Estadual da Mulher Heloneida Studart

Pelos corredores do Hospital Estadual da Mulher Heloneida Studart (HEMHS) passam centenas de gestantes, bebês que acabaram de nascer, familiares e funcionários todos os dias. São histórias de superação, alegria, tristeza e amor que fazem parte da rotina do principal hospital para o atendimento de gestantes e bebês de alto risco na Baixada Fluminense. E foi este o local escolhido pela artista plástica Cristina Salgado para mostrar o seu trabalho. Ela fez uma montagem na recepção do ambulatório denominada "A Grande Nua", que consiste na junção de pedaços de tapetes e contou com a participação especial de adolescentes do CIEP, jovens que estudam próximo ao HEMHS e já participaram de palestras sobre cuidado com o corpo e métodos contraceptivos na unidade.

Cristina faz parte de um grupo, que, junto com outras três artistas - Gabriela Mueb, Hélio Carvalho e Roberta Barros encontram terreno fusionante de questões sócio-econômicas e de gênero no qual propõem intervenções artísticas de alcance micropolítico. Acompanhadas pelos curadores Luiz Sérgio de Oliveira e Tania Rivera e pela diretora clínica da instituição, Ana Teresa Derraik, tais intervenções deram origem à exposição Arte, Mulher e Sociedade, que estará em cartaz no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica a partir do dia 05 de novembro de 2016.

Parto humanizado - O Hospital Estadual da Mulher, inaugurado em 2010, é a primeira unidade da rede estadual de saúde totalmente especializada no atendimento a gestantes de alto risco e realiza cerca de 400 partos por mês e 8 mil atendimentos. A unidade adota a cultura do parto humanizado - série de ações que visam atender as necessidades da gestante, incluindo desde a presença de um acompanhante de sua confiança durante o parto até aspectos fisiológicos, psicossociais e sociais. A prioridade é respeitar as vontades da grávida com o mínimo possível de intervenções médicas, estimulando o parto natural.

A unidade conta também com a Casa da Mãe, local onde a parturiente fica hospedada caso seu bebê precise permanecer internado para mais cuidados na UTI ou UI. O espaço recebe puérperas que moram longe da unidade - mínimo de 50 km de distância - ou em lugares de difícil acesso e permite que essas mães fiquem próximas aos filhos que permanecem internados, garantindo, com isso, o contato e o aleitamento tão importantes na recuperação dos recém-nascidos. De um monitor instalado no espaço, elas também podem acompanhar os bebês, online e 24 horas por dia, através de um circuito fechado de TV.


As instalações da Casa da Mãe foram planejadas com o conceito de casa, com ambientação acolhedora, fugindo do padrão dos alojamentos hospitalares. São três apartamentos com dormitório, sala e copa-cozinha, banheiros e lavanderia com capacidade para hospedar 15 mães.

Clique aqui e veja o álbum de fotos.

 

nossas unidades

UPA Nova Serrana


Hospital de clinicas sul - São José dos Campos

Hospital de Clinicas Sul
São José dos Campos

UPA JK Contagem