Você está em: Principal → Mídia → Notícias

notícias

03 de julho de 2014

Programa Novo Cidadão é lançado no Hospital da Mulher

O Hospital Estadual da Mulher Heloneida Studart (HMHS) foi a maternidade escolhida para o lançamento do Programa Novo Cidadão, do Governo do Estado do RJ, para identificação de crianças recém-nascidas. Com o projeto pioneiro, os bebês receberão simultaneamente a certidão de nascimento e a carteira de identidade ainda na maternidade. A ideia é garantir o direito à cidadania, proteger as crianças de sequestros ou sumiços e facilitar a localização de desaparecidos.

O programa é uma iniciativa da primeira-dama do Estado, Maria Lúcia Horta Jardim.

- Conheci o trabalho da Fundação para a Infância e Adolescência com crianças desaparecidas e fiquei muito preocupada com os números. São cerca de 40 mil crianças desaparecidas por ano no Brasil. Reunimos diversos órgãos do Estado e decidimos fazer uma grande ação para ajudar a encontrar essas crianças - explica.

A escolha do Hospital da Mulher foi feita porque a unidade é referência no atendimento de gestantes e bebês alto risco. Em 2013, foram realizados 4.795 partos. Somente neste ano, já foram mais 2.085 partos.

A pequena Lyna Vitoria Batista, que nasceu no dia 22 de junho, foi a primeira bebê a contar com uma carteira de identidade. A mãe Conceição da Silva, de 35 anos, moradora de Belford Roxo, comemorou:

- Fico feliz por saber que a minha filha vai para casa já com a carteira de identidade. É uma facilidade e segurança a mais para a ela e para a minha família - disse a dona de casa.

As mães que não tiverem certidão de nascimento ou carteira de identidade também serão atendidas pelo programa. O serviço é gratuito. Além disso, ao procurarem o posto do Detran, as famílias receberão um formulário que garantirá a gratuidade para a retirada da segunda via da identidade, obrigatória antes dos 18 anos.

- A equipe do Hospital da Mulher está motivada para oferecer este novo serviços aos nossos pacientes e vai trabalhar no sentido de estimular as famílias a solicitarem a identificação dos bebês - explica do diretor do Hospital da Mulher, Helton Setta.

A Diretoria de Identificação Civil do Detran e a Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado do Rio de Janeiro (Arpen/RJ) instalarão, em parceria, um posto de identificação e um cartório em cada uma das maternidades.

A expectativa é que, até o fim do ano, outras seis unidades hospitalares da rede pública estadual estejam inseridas no programa. São elas: Hospital Estadual da Mãe, Hospital Estadual Vereador Melchiades Calazans, Hospital Estadual Albert Schweitzer, Hospital Estadual Rocha Faria, Hospital Estadual Adão Pereira Nunes e Hospital Estadual Azevedo Lima.

Crianças desaparecidas - Segundo a Fundação para a Infância e Adolescência (Fia), das 2.795 crianças já localizadas pelo Programa SOS Crianças Desaparecidas, 94% não possuíam identificação civil. Atualmente o estado do Rio de Janeiro conta ainda com 490 desaparecidos. Destes, cerca de 60% tiveram como circunstância a fuga do lar, sendo a maioria motivada pela violência doméstica. Para a Fia, a carteira de identidade, com a foto da criança, vai facilitar a localização desses desaparecidos. De acordo com dados do IBGE, 6,3 milhões de habitantes, o que representa 4,5% da população do estado, estão em situação de sub-registro.

nossas unidades

UPA Nova Serrana


Hospital de clinicas sul - São José dos Campos

Hospital de Clinicas Sul
São José dos Campos

Upa Norte Betim

UPA Norte Betim